Pesquisar este blog

Loading...

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

POVO DÁGUA

A linha D'água, nas giras de Umbanda, geralmente se manifesta para purificar e energizar os filhos de santo e assistência.
A manifestação é rápida. Não falam, e em suas danças sempre se movimentam com gestos que representam seus domínios.
A incorporação de Yemanjá, é bastante serena, e sempre movimentam os braços lentamente como se estivessem abrindo caminho entre as ondas do mar.Ao contrário de Iansã, que como uma grande ventania é agitada e sempre movimenta os braços para cima, expulsando os eguns.
A linha d'água ainda traz Oxum e Nanã.
Oxum das cachoeiras e lagos, e Nanã Boruquê das águas lodosas e barrentas.
A linha d'água representa o ciclo da renovação. Essas entidades, como as águas, levam as energias negativas, e nos devolvem fôlego renovado e purificado.
Por isso, quando fizer alguma oferenda no mar, lembre-se: O mar leva, mas também trás, portanto se quiser receber flores, antes de mandá-las ao mar, tire os espinhos.

A gira de Baianos

"Meu santo é forte Caboclo do Norte,Que só faz o bem,Só quer ajudar,Não faz mal a ninguém,É flecha encarnada,
mãe santa me deu..."


Caboclo do Norte, a gira de Baianos nada mais é do que a alegria de um povo que foi e é sofrido mas que não perde a esperança por possuir uma fé inabalável e uma experiência em lidar com problemas que fazem os nossos parecerem brincadeira.

Como encarar a vida e seus problemas com entusiasmo e alegria?
Pergunte a uma entidade da Gira de Baianos.
Sem a menor dúvida, a gira mais festiva e alegre da Umbanda.


Desprendida, descomplicada, um alto astral e uma vontade imensa de resolver as "coisas do coração" , verdadeiro obstáculo do ser humano.
Porque é nas coisas do coração que se encontram as soluções para todos os outros problemas.
Cansei de presenciar estas magníficas entidades desviarem assuntos relacionados a trabalho, dinheiro, ou qualquer outro problema para perguntar sobre as coisas do coração, no livro "Carma" enfatizo esse comportamento curioso, pois o impressionante é que realmente estes problemas existiam e eram o que realmente estava atrapalhando. Sanado estes problemas de relacionamento, os demais acabavam como que por mágica


Água de coco, batida de coco, uma "branquinha", e a tradicional farofa, com acarajé, um peixe, ou qualquer coisa que só de sentir o cheiro nos remete a mágica Bahia de todos os santos.

Caboclos de Oxossi

Provavelmente a mais popular gira de Umbanda, a dos Caboclos de Oxóssi, os índios brasileiros verdadeiros donos desta terra, que não diferente dos Negros escravos, também foram vítimas da perseguição dos que se diziam "civilizados"

A Umbanda, enquanto mistura  de diversas culturas religiosas, agregou também a ameríndia e recebe na Gira dos Caboclos estes espíritos de índios que foram pajés, caciques, caçadores, e possuíam uma fé inabalável em Tupã, Deus Supremo.
Os Caboclos trouxeram para a Umbanda toda a magia dos Pajés, a a defumação pelos charutos e cachimbos,e o  poder milagroso das ervas.


Na hora de nosso desespero, um meio a diversos problemas do cotidiano atual, o que poderia ser melhor do que se deparar com um espírito de um Cacique sábio, envolto a seus hábitos, o cheiro da erva que segura e da fumaça dos seus fumos?? Ouvir os sábios conselhos nesta hora parece ser mesmo um presente de Tupã.

É bom sempre lembrar que, quando falamos Caboclo, se entenda Caboclo ou Cabocla, pois lá estão também estas guerreiras,  caçadoras, as nossas Juremas e Jupiaras, índias com todos os méritos até agora descritos.


texto repassado por carlos do ogum


sábado, 18 de agosto de 2012

EXU DESTRANCA RUA

O exú Destranca Rua é uma entidade de cruzeiro. Ele é subordinado do exú Calunga. Portanto ele trabalha tanto no cruzeiro de rua quanto nos cruzeiros das almas (calunga). Ele é um exú que atua destrancando os caminhos trancados por baixas energias e vibrações.
Dentro da umbanda o exú Destranca Rua trabalha na vibração de Ogum, Oxum e também Xango. Sendo ele um exú de cruzeiro, indiretamente ele trabalha para os demais caboclos sem excessão, pois todos os trabalhos e rituais precisam de caminhos abertos para poderem ter bom êxito.
Sempre que agradarmos a esse exú, aconselho a arriar junto dessa oferenda, uma champanhe, uma rosa vermelha e um cigaro, pois nunca podemos esquecer que este exú nunca trabalha sozinho, e seria uma ofença se não agradarmos a suas companheiras.
Este exú, destranca também os negocios financeiros, por isso é bom fazer oferendas em portas de bancos, supermercados, enfim lugares de grandes movimentos. Também é um grande aliado na hora de destrancar os relacionamentos complicados e no auxilio a saúde.

domingo, 5 de agosto de 2012

PANTERA NEGRA

Os mais antigos Umbandistas da década de 70, tiveram o privilégio de conhecer esta poderosa entidade já em seus primeiros anos de manifestações e trabalhos de caridade na Gloriosa Umbanda.


Hoje em dia seus antigos médiuns já não se encontram conosco, e são poucos dos médiuns atuais que realmente trabalham com essa poderosa entidade de forma correta e sem mistificações.


Só o nome já chama a atenção, causa uma certa curiosidade nos mais aficcionados pela Umbanda ou Quimbanda em conhecer esta entidade e saber mais um pouco, muitos tem mistificado usando o nome deste poderoso Caboclo Quimbandeiro para se destacar, ou se promover no meio Umbandista e até se impor como sendo de maior axé dentro dos cultos.


Mas na verdade o Sr. Pantera Negra, ou para os mais íntimos, Sêo Pantera, escolhe a dedo seus médiuns, sendo muito rara sua manifestação através da incorporação.


Uma das particularidades deste poderoso Caboclo Quimbandeiro ( não usarei o termo Exú, mesmo girando na Quimbanda ele continua a ser um Caboclo ) é a sua capacidade de manifestar-se à qualquer hora do dia ou da noite, sendo por isso muito solicitado em casos de difícil solução, pois detém o poder de resolver até mesmo coisas que julgamos impossíveis.


Quando manifestado através da incorporação, fala com tremenda autoridade, firme ao falar, cumpre o que diz e jamais deixa um filho-de-fé sem uma solução para seus problemas.


Na Quimbanda por questões evolutivas não aceita sacrifícios de animais em suas obrigações e assentamentos, jamais se manifesta imitando o animal Pantera ou qualquer outro felino, apenas os mistificadores é que se valem disso para impressionar os menos esclarecidos.


O Caboclo Pantera Negra é um dos espíritos oriundo da Tribo Hopi dos EUA, ostenta o nome de Pantera Negra por conta de sua coragem e determinação, força e espírito guerreiro, qualidade que só os Panteras Negras possuem, alguns estudiosos afirmam que ele seja de origem Tupi, coisa realmente impossível, pois a Linha dos Caboclos Quimbandeiros tem em suas fileiras apenas espíritos pertencentes à tribos indígenas da América do Norte.


Na Quimbanda ele é responsável pela chefia da segunda e mais temida Linha de Quimbanda, a Linha dos Caboclos Quimbandeiros, ele possui atributos diferentes dos demais Exús, sendo muitas vezes solicitado para trabalhos de Magia Negra e demandas espirituais, tanto ele como seus subordinados, os Caboclos Quimbandeiros.
Quando manifesto em uma sessão de Umbanda trabalha da mesma forma que nas giras de Quimbanda, sempre firme, ouve as súplicas de seus filhos-de-fé e sempre esta disposto para assumir o caso e dar uma solução o mais rápida possível.


Seu curiador ( bebida ) seja na Umbanda ou Quimbanda é sempre o vinho tinto, bebe marafo ( cachaça ) apenas quando está em trabalhos de demanda ou em casos extremos onde é necessário manipular energias mais pesadas em prol do progresso de seus filhos-de-fé.
Bem como nos primórdios da Umbanda e da Quimbanda haviam médiuns que supostamente incorporavam o Sêo Pantera Negra e comportavam-se como animais ferozes e selvagens, muitas das vezes precisavam ser amarrados quando manifestos, um tipo de manifestação medíocre e infeliz, que serviu por anos como meio de impor o medo nas pessoas e o temor em cultuar esse poderoso Caboclo, que em momento algum imita algum felino em sua manifestação na terra.

Seus médiuns de incorporação são sempre do sexo masculino, são raros os casos de médiuns do sexo feminino, ele também jamais admite mentiras ou mistificações em seus trabalhos, além disso não usa cocares de penas em sessões de Umbanda nem paramento algum quando se manifesta para prestar a caridade, na Quimbanda quando manifesto jamais usa chapéus na cabeça, gosta sempre de olhar nos olhos de seus filhos e filhas-de-fé, sempre trabalha de pés descalços, encara com firmeza seus consulentes, mas pode sim usar capa como forma de mostrar seu caráter Quimbandeiro e como indumentária do culto.


Seu assentamento ou o assentamento de dos componentes da Linha dos Caboclos Quimbandeiros é feito com muito mironga e com fundamentos bem diferentes do que costumamos ver em várias casas que cultuam a Quimbanda.


texto passado pelo sacerdote João Ataides (ESTADO DO PARANA)

EXU ASA NEGRA

Asa negra tem o poder dentro da quimbanda de dar aos que o invocam o dom de levitação,podendo trabalhar de dia diferente de exú morcego que tambem tem essa propriedade elemental,mas que prefere a noite,sendo um contra ponto elemental com exú asa negra e age em outros focos magisticos,asa negra é invocado dentro da lei para desfazer magias que invertem destinos,ou seja que derrubam as pessoas vitimas desta, na ótica errada quiumbas se passando por exú asa negra seriam invocados no conceito errado de magia negra para exatamente derrubar ou levantar pessoas na injustiça,mas como o maioral real age misteriosamente temos no verdadeiro exú asa negra esse antidoto podemos contar com ele para desfazer trabalhos de inversão,simbolizando suas asas negras o voo onde o praticante alçará os céus levados pela asa negra desse exú que foi um poderoso xamã ligado a aves em especial de penagem negra e que desfaz maldições nesse sentido.


sexta-feira, 3 de agosto de 2012

EXU DO AÇO

Tentar falar de EXU e um mistério, pois existem exus que parecem ocultar um segredo em seus próprios nomes misticos ou lendários, tais como exu morcego, exu caverinha, exu urubu, exu do ferro e o próprio EXU DO AÇO, assim como tantos outros guardiões, mais sabemos que muitas entidades exus vivenciaram na terra em tempos bem longinquos e outros nem tanto, Os exus vivenciaram esperiências erraram e acertaram o suficiente para hoje nos nos aconselhar e dizer que tudo que estamos fazendo pode ser produtivo ou destrutivo (lembremos que a plantação e facultativa a colheita e obrigatória).

A muito tempo os exus vem ganhando espaços nos terreiros de umbanda, e sabemos que os exus possuem seus pontos de forças sejam eles no cruzeiro, nos mares, na calunga, nas encruzilhadas, onde cada uma delas podem ser divididas por exemplo na encruzilhada


Para ser sincero não conheço a verdadeira história deste Exu, mas o pouco que sei e que esse guardião recebe seus trabalhos no cemitério mas não e de lá, pode até ter seus fundamentos na calunga, mas seu ponto de força e na encruzilhada de aço e nos trilhos, trabalha diretamente nas ordens do grande Ogum, mas trabalha também nas serventia de outros Orixás assim como outros exus. Sobre o aspecto de sua falange, primeiro destaco para o entendimento o grande e misterioso Exu Tata Caveira pois em sua falange encontram-se várias entidade com autonomia propria porem com grande reverencia ao Tata Caveira são eles: (Exu Cavera, Exu João Cavera, Exu Caverinha, Exu Sete Caveras, Sete Catacumbas etc), assim e o com Exu do Aço que em sua falange podemos encontrar (Exu Capa de Aço, Exu Trinca Ferro, Exu Sete Aços, Exu Mão de ferro, Exu Pé de Ferro, Exu do Ferro, Exu Caçamba, Exu Cadeado entre outros) todas elas interligadas entre si.


O Exu do Aço encorporado em seu médium, pude perceber que e bastante brincalhão, gosta de rir (mas não confundam) e quase ao mesmo tempo muito sério e em seus trabalhos não gosta de aliviar. podemos encontrar encruzilhadas dos montes, encruzilhadas das matas, encruzilhadas da calunga e até mesmo encruzilhadas de aço etc.