Pesquisar este blog

Loading...

quarta-feira, 23 de junho de 2010

CORRENTE MEDIÚNICA

É o conjunto de forças magnéticas que se forma, em dado local, quando indivíduos de pensamentos e objetivo semelhantes se reúnem e vibram em comum. Podemos dizer que é um conjunto de médiuns, tal quais os elos de uma corrente de metal, que se interligam e complementam. Na corrente, cria-se o contacto entre as auras, unem-se os fluídos, harmonizam-se as vibrações individuais, os elos mentais ligam-se entre si e forma-se uma estrutura espiritual da qual cada pessoa é uma parte, uma parte viva, vibrante, operante. Para que uma corrente mediúnica seja coesa e tenha uma boa vibração, os médiuns que dela participam, deverão ter o mesmo pensamento ou sentimento, caso contrário, o elo quebra-se, o trabalho espiritual não desenvolve. Às vezes a “carga negativa” é demais para um único médium absorver e se livrar dela. É necessário que se dilua essa carga entre outros médiuns e, nesse caso forma-se uma corrente mediúnica, que pode ser composta por dois médiuns no mínimo ou por uma quantidade infindável deles. As sessões espirituais são compostas por duas correntes: corrente mediúnica e corrente espiritual, que trabalham em harmonia, buscando os mesmos objetivos. À corrente que se estabelece num ritual no plano material, corresponde uma outra formada pelas entidades e, dessa união gera-se uma forte corrente espiritual, de onde todos podem beneficiar. A participação de um médium numa corrente deverá começar pelo banho de ervas e uma limpeza mental, preparada de bons sentimentos, elevando o pensamento para um plano superior de religiosidade.

A formação de uma boa corrente magnética é a condição mais importante para a realização de todo e qualquer trabalho espiritual.

A missão de ser médium é árdua e espinhosa, é difícil, é o caminho das tentações. Médiuns são aqueles espíritos que receberam antes da presente encarnação, determinados ajustes no Organismo Astral e, nas suas concepções morais, que possibilitem ceder a sua constituição física à comunicação mediúnica, trabalhando em prol da Caridade e da evolução própria e dos seus semelhantes. Este é um compromisso firmado entre este Ser e os Espíritos da Confraria Cósmica de Umbanda, antes do nascimento e que deve florescer de maneira natural ao longo da encarnação do indivíduo. A vida não nos pede sacrifícios, nem esforços que não sejam compatíveis com as nossas forças. Compete a todos os médiuns lutarem para melhorar. O desejo de muitos para ser médium é ardente, no entanto, passar pelos caminhos que devem ser trilhados por um instrumento sensível ao bem, poucos suportam.

terça-feira, 22 de junho de 2010

PRECE DE ABERTURAS DE TRABALHOS

Oração a todos os Orixás QUE A IRREVERÊNCIA E O DESPRENDIMENTO DE EXU ME ANIMEM A NÃO ENCARAR AS COISAS DA FORMA COMO ELAS PARECEM À PRIMEIRA VISTA, E SIM QUE EU APRENDA QUE TUDO NA VIDA, POR PIOR QUE SEJA, TERÁ SEMPRE O SEU LADO BOM E PROVEITOSO! LAROYÊ EXU! QUE A TENACIDADE DE OGUM ME INSPIRE A VIVER COM DETERMINAÇÃO, SEM QUE EU ME INTIMIDE COM PEDRAS, ESPINHOS E TREVAS. SUA ESPADA E SUA LANÇA DESOBSTRUAM MEU CAMINHO E SEU ESCUDO ME DEFENDA. OGUN IÈ! PATAKORI OGUN! QUE O LABOR DE OXÓSSI ME ESTIMULE A CONQUISTAR SUCESSO E FARTURA ÀS CUSTAS DE MEU PRÓPRIO ESFORÇO. SUAS FLECHAS CAIAM À MINHA FRENTE, ÀS MINHAS COSTAS, À MINHA DIREITA E À MINHA ESQUERDA, CERCANDO-ME PARA QUE NENHUM MAL ME ATINJA. OKÊ BAMBOCRIM! OKÊ ARÔ ODÉ! QUE AS FOLHAS DE OSSANHE FORNEÇAM O BÁLSAMO REVITALIZANTE QUE RESTAURE MINHAS ENERGIAS, MANTENDO MINHA MENTE SÃ E CORPO SÃO. EWE OSSAYIN! QUE OXUM ME DÊ A SERENIDADE PARA AGIR DE FORMA CONSCIENTE E EQUILIBRADA. TAL COMO SUAS ÁGUAS DOCES - QUE SEGUEM DESBRAVADORAS NO CURSO DE UM RIO, ENTRECORTANDO PEDRAS E SE PRECIPITANDO NUMA CACHOEIRA, SEM PARAR NEM TER COMO VOLTAR ATRÁS, APENAS SEGUINDO PARA ENCONTRAR O MAR - ASSIM SEJA QUE EU POSSA LUTAR POR UM OBJETIVO SEM ARREPENDIMENTOS. AIEIEU! QUE O ARCO-ÍRIS DE OXUMARÉ TRANSPORTE PARA O INFINITO MINHAS ORAÇÕES, SONHOS E ANSEIOS, E QUE ME TRAGA AS RESPOSTAS DIVINAS, DE ACORDO COM MEU MERECIMENTO. ARROBOBOI OXUMARÈ! QUE OS RAIOS DE YANSÃ ALUMIEM MEU CAMINHO E O TURBILHÃO DE SEUS VENTOS LEVE PARA LONGE AQUELES QUE DE MIM SE APROXIMAM COM O INTUITO DE SE APROVEITAREM DE MINHAS FRAQUEZAS. HEPARREI! QUE AS PEDREIRAS DE XANGÔ SEJAM A CONSOLIDAÇÃO DA LEI DIVINA EM MEU CORAÇÃO. SEU MACHADO PESE SOBRE MINHA CABEÇA AGINDO NA CONSCIÊNCIA E SUA BALANÇA ME INCUTA O BOM SENSO. OBANISHÉ KAÔ! KAÔ CABECILE! QUE AS ONDAS DE YEMANJÁ ME DESCARREGUEM, LEVANDO PARA AS PROFUNDEZAS DO MAR SAGRADO AS AFLIÇÕES DO DIA-A-DIA, DANDO-ME A OPORTUNIDADE DE SEPULTAR DEFINITIVAMENTE AQUILO QUE ME CAUSA DOR E QUE SEU SEIO MATERNO ME ACOLHA E ME CONSOLE. ÓDOCIABA YEMANJÁ! QUE AS CABAÇAS DE OBALUAYÊ TRAGAM NÃO SÓ A CURA DE MINHAS MAZELAS CORPORAIS, COMO TAMBÉM AJUDEM MEU ESPÍRITO A SE DESPOJAR DAS VICISSITUDES. ATOTÔ OBALUAYÊ! QUE SABEDORIA DE NANÃ ME DÊ UMA OUTRA PERSPECTIVA DE VIDA, MOSTRANDO QUE CADA NOVA EXISTÊNCIA QUE TENHO, SEJA AQUI NA TERRA OU EM OUTROS MUNDOS, GERA A BAGAGEM QUE ME DÁ MEIOS PARA ATINGIR A EVOLUÇÃO, E NÃO UMA FORMA DE PUNIÇÃO SEM FIM COMO JULGAM OS INSENSATOS. SALUBA NANÃ! QUE A VITALIDADE DOS IBEIJIS ME ESTIMULE A ENFRENTAR OS DISSABORES COMO APRENDIZADO; QUE EU NÃO PERCA A PUREZA MESMO QUE, AO MEU REDOR, A TENTAÇÃO ME ENVOLVA. QUE A INOCÊNCIA NÃO SIGNIFIQUE FRAQUEZA, MAS SIM REFINAMENTO MORAL! ORIBEIJADA! QUE A PAZ DE OXALÁ RENOVE MINHAS ESPERANÇAS DE QUE, DEPOIS DE ERROS E ACERTOS; TRISTEZAS E ALEGRIAS; DERROTAS E VITÓRIAS; CHEGAREI AO MEU OBJETIVO MAIS NOBRE: AOS PÉS DE ZAMBI MAIOR! ÊPA BABÁ OXALÁ!

segunda-feira, 21 de junho de 2010

EU PEDI A OGUM

Eu pedi a Ogum, para retirar os meus vícios.
Ogum disse: Não.

Eles não são para eu tirar, mas para você desistir deles.

Eu pedi a Ogum , para fazer meu filho aleijado se tornar completo.
Ogum disse: Não.
Seu espírito é completo, seu corpo é apenas temporário

Eu pedi a Ogum para me dar paciência.
Ogum disse, Não.
Paciência é um subproduto das tribulações; Ela não é dada, é aprendida.

Eu pedi a Ogum para me dar felicidade.
Ogum disse: Não.
Eu dou bênçãos; Felicidade depende de você.

Eu pedi a Ogum para me livrar da dor.
Ogum disse: Não.
Sofrer te leva para longe do mundo e te traz para perto de mim.

Eu pedi a Ogum para fazer meu espírito crescer.
Ogum disse: Não.

Você deve crescer em si próprio! Mas eu te podarei para que dês frutos.

Eu pedi a Ogum todas as coisas que me fariam apreciar a vida.
Ogum disse: Não.
Eu te darei a vida, para que você aprecie todas as coisas.

Eu pedi a Ogum para me ajudar a AMAR os outros, como Ele me ama.
Ogum disse: Finalmente você entendeu a idéia!

PRECE DE OGUM

Pai, que minhas palavras e pensamentos cheguem até vós em forma de prece e que sejam ouvidas.

Que esta prece corra mundo e universos e chegue até os necessitados em forma de conforto para suas dores.

Que corra os quatro cantos da terra e chegue aos ouvidos de meus inimigos em forma de brado e advertência, de um filho de ogum que sou e nada temo pois sei que a covardia não muda o destino.

Ogum padroeiro dos agricultores e lavradores, fazei com que minhas ações sejam sempre férteis, como o trigo que cresce e alimenta a humanidade nas suas ceias espirituais para que todos saibam que eu sou teu filho.

Ogum senhor das estradas, fazei de mim um verdadeiro andarilho e eu seja sempre um fiel caminheiro seguidor do teu exército e que nas minhas caminhadas só hajam vitórias e mesmo quando aparentemente derrotado eu seja um vitorioso, pois nós os

vossos filhos não conhecemos derrotas, porque sendo o senhor o "Deus da Guerra", nós, vossos filhos, não conhecemos a luta, como esta que eu trago agora, embora sabendo que é só o começo, mas tendo o senhor como meu pai a minha vitória será certa.

Ogum, meu grande pai e protetor, fazei com meu dia de amanhã seja tão bom quanto o de ontem e hoje, que as minhas estradas estejam sempre abertas, que no meu jardim só haja flores, que os meus pensamentos sejam sempre bons e que aqueles que me procuram consigam sempre remédios para os meus males.

Ogum vencedor de demandas, que todos aqueles que cruzarem a minha estrada, que cruzem com o propósito de engrandecer cada vez mais a ordem dos cavaleiros de Ogum.

Pai, dá luz aos meus inimigos, pois se eles me perseguem é porque vivem nas trevas, e na realidade perseguem a luz que vós me destes.

Senhor, me livra das pragas, das doenças, das pestes, dos olhos grandes, da inveja, das mentiras, das vaidades que só levam à destruição.

E que todos aqueles que ouvem esta prece e também aqueles que a tiverem em seu poder estejam livres da maldade do mundo.

Ogum, que eu possa sempre dizer para aqueles que me pedem a bênção: Meu Pai te abençoe!

ORAÇÃO DE SÃO JORGE

Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge para que meus inimigos tendo pés, não me alcancem; tendo mãos, não me peguem; tendo olhos não me vejam e nem em pensamentos eles possam me fazer mal. Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrem sem o meu corpo tocar, cordas e correntes se arrebentem sem o meu corpo amarrar. Jesus Cristo me proteja e me defenda com o poder de sua santa e divina graça, Virgem de Nazaré me cubra com o seu manto sagrado e divino, protegendo-me em todas as minhas dores e aflições, e Deus com sua Divina Misericórdia e grande poder seja meu defensor contra as maldades e perseguições de seus inimigos.Glorioso São Jorge, em nome de Deus, estenda-me o seu escudo e as suas poderosas armas, defendendo-me com a sua força e com a sua grandeza, e que debaixo das patas de seu fiel ginete meus inimigos fiquem humildes e submissos a vós. Assim seja com o poder de Deus, de Jesus e da falange do Divino Espírito Santo

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASI

Umbanda Amparo Legal

Por se tratar de religião e cultura, a Umbanda é duplamente protegida na forma da lei pela Constituição da República Federativa do Brasil. Outrossim, o artigo 208 do Código Penal Brasileiro prevê, para o crime de ultraje a culto e impedimento ou perturbação de ato a ele relativo, pena de detenção de um mês a um ano ou multa. Para que todas as pessoas que professam a Umbanda fiquem cientes dos seus direitos é bom observar com atenção os artigos constitucionais que podem e devem ser evocados quando qualquer cidadão sentir-se aviltado no que diz respeito à liberdade de crença religiosa.


O artigo 5º da Constituição Federal assegura:
"Todos são iguais perante a Lei, sem distinção de qualquer natureza, garantido-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade."


Portanto, como a Constituição assegura que não deve haver distinção de qualquer natureza, católicos, protestantes, evangélicos, umbandistas, espíritas, budistas, muçulmanos, membros do Candomblé etc. são iguais em direitos e obrigações, estando, pois, submetidos às mesmas leis e devendo observar o inciso VI do artigo 5º da Carta Política de 1988, que diz:


"É inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias."


Ainda na Constituição Federal, o parágrafo 1º do artigo 215 deixa muito claro que a Umbanda, que é também evidente manifestação da cultura popular afro-brasileira, pode contar com a proteção do Estado para existir e resistir:


"O Estado garantirá a todos o pleno exercício dos direitos culturais e acesso às fontes da cultura nacional, e apoiará e incentivará a valorização e difusão das manifestações culturais.
Parágrafo 1º. O Estado protegerá as manifestações das culturas populares, indígenas e afro-brasileiras, e dos outros grupos participantes do processo civilizatório Nacional".


Na legislação infraconstitucional diretamente relacionada ao inciso VI do artigo 5º, o artigo 208 do Código Penal merece menção, haja vista que os crimes que define têm sido cometidos freqüentemente contra adeptos das religiões afro-brasileiras sem que se tomem providências primeiramente por uma nítida falta de interesse das autoridades e depois porque os adeptos, na maioria das vezes, não sabem que tais atos constituem crime.


"Artigo 208: Escarnecer de alguém publicamente, por motivo de crença ou função religiosa; impedir ou perturbar cerimônia ou prática de culto religioso; vilipendiar publicamente ato ou objeto de culto religioso:
Pena - detenção, de 1 (um) mês a 1 (um) ano, ou multa.
Parágrafo único. Se há emprego de violência, a pena é aumentada de um terço, sem prejuízo da correspondente a violência".


Como fica a situação quando a policia, respaldada pelo poder do Estado, infringe a lei?


Se considerarmos que a proteção aos locais de culto e a suas liturgias é garantida na forma da lei, é dever da polícia, quando solicitada, prestar assistência aos adeptos para que possam cumprir seus rituais com segurança e não impedi-los, por exemplo, de fazer suas oferendas. Fazer uma oferenda a Exu numa encruzilhada é um direito, assim como é um direito do crente pregar em praça pública ou do católico fazer procissões. A polícia também não pode invadir um terreiro de Umbanda, a menos que observe os trâmites legais.


Todos têm direito à liberdade religiosa, que não atinge um grau absoluto, pois não são permitidos a nenhuma religião ou culto, atos atentatórios à lei, sob pena de responsabilidade civil e criminal. Um adepto de determinada religião, por exemplo, não pode evocar o inciso VI do artigo 5º da Constituição, ou seja, suas convicções religiosas, para livrar-se dos crimes estipulados no artigo 208 do Código Penal. Há que se observar o inciso VIII do artigo 5º da Constituição, que diz:


"Ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou convicção filosófica ou política, salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa, fixada em lei".


O Brasil, por meio do Pacto de São José da Costa Rica, se comprometeu a respeitar o sentimento religioso, avalizando o documento que no artigo 12.1 da Convenção diz:


"Toda pessoa tem direito à liberdade de consciência e de religião. Esse direito implica a liberdade de conservar sua religião ou suas crenças, ou de mudar de religião ou de crenças, bem como a liberdade de professar e divulgar sua religião ou suas crenças, individual ou coletivamente, tanto em público como em privado".


Devem os templos de Umbanda e seus responsáveis começarem a reivindicar os privilégios e isenções que a lei assegura aos ministros de confissão religiosa e às suas igrejas, como o direito a prisão especial, a contribuição à Previdência Social na qualidade de sacerdote e a desobrigação de recolher alguns impostos como o IPTU.


É importante também difundir a Lei nº. 7.716 de 5 de janeiro de 1989, não só entre as pessoas do Umbanda, mas para toda a sociedade, especialmente entre os negros que sofrem muito mais com o preconceito que, mesmo camuflado pelo mito da democracia racial, existe no Brasil. Isso serve para ratificar que o caminho para viver plenamente a cidadania é o da
consciência, que passa, necessariamente, pelo reconhecimento das leis que asseguram os direitos de todos os cidadãos, brancos ou negros, crentes ou de Umbanda, ricos ou pobres.

Fica claro então que nossa religião, como qualquer outra, possui seus direitos legais garantidos pela Constituição Federal do Brasil, nos delegando assim o direito a prática de nossos rituais sem a preocupação de sofrermos algum tipo de censura religiosa alheia. A LEI NOS GARANTE ISSO!!!

terça-feira, 15 de junho de 2010

A MEDIUNIDADE

Mediunidade é a ação consciente ou inconsciente dos seres encarnados. A Mediunidade pode ser dividida em dois grupos principais e distintos:

Mediunidade Psíquica ou Intuitiva: É aquela em que o médium, escuta palavras no cérebro e as escreve (ou transmite) de livre e espontânea vontade. Como na maioria das vezes, a transmissão é rápida demais. Há neste grupo de mediunidade a possibilidade de o médium escutar uma coisa e transmitir outra, ou melhor dizendo, escuta uma frase completa e dá-lhe sua própria interpretação, porém, na maior parte das vezes, contraria o sentido original do que foi recebido.

Mediunidade Somática ou Mecânica: É aquela em que o Espírito domina e utiliza parte do corpo do médium, ou o todo, independentemente e sem possibilidade de intervenção do mesmo.

Em ambos os grupos de Mediunidade acima mencionados, encontram-se os seguintes tipos de mediunidade, em ordem decrescente em grau:

Clarividência: É a atuação de uma vibração na mente do médium, descrevendo através dela quadros possíveis de acontecer, dependendo do fator TEMPO.

Vidência: É uma mentalização material, inata, podendo ver coisas materiais, passadas em outro local e/ou espirituais, de olhos abertos e de frente.

Psicografia: É a faculdade mediúnica de receber vibrações, que os fazem transcrever mensagens espirituais.

Audição: É aquela em que o médium ouve vozes, transmitindo as boas e más notícias.

Curadora: É a faculdade inata e esclarecedora da cura, através de conselhos, ervas, etc.

Passista: É a capacidade de movimentar vibrações através de passes para equilibrar e fortalecer as forças positivas e diminuir e também equilibrar, as forças negativas.

Incorporação: É a faculdade de entregar o seu corpo à vibração do plano astral, facilitando a comunhão do Espírito Comunicador com as vibrações materiais do seu corpo, para que, através do mesmo, seja dado o socorro, a ajuda, enfim o esclarecimento e tudo necessário aos eternos pedintes que somos.

Médium: É o intermediário entre o plano físico (ou material) e o plano espiritual. Levando-se em conta os sete tipos principais de Mediunidade, cremos que 80% dos médiuns existentes têm como classificação primordial a INCORPORAÇÃO, porquanto este orbe é um planeta presídio e de expiação de faltas Kármicas. Os 20% restantes estão proporcionalmente distribuídos entre os restantes tipos de Mediunidade. Fazem parte fundamentalmente do currículo do médium, que entende a sua missão, os seguintes requisitos voluntários:

1. HUMILDADE
2. OBEDIÊNCIA
3. FÉ
4. DESPRENDIMENTO
5. DISCERNIMENTO
6. PROPÓSITO
7. FIM


O Fim, é o aprimoramento que o médium procura em todos os outros quesitos, e é vislumbrado quando o Ser percebe que o uso condigno e confiante da Mediunidade, tem valia em algo de bem e de bom para alguém. Todo o Ser é um iniciado em potencial, ignorando de início o Modus Operanti, utilizando-se do seu Livre Arbítrio, estudando o fenómeno, progredirá de acordo com a intensidade de suas qualidades essenciais.

Por esta razão, nem todos os médiuns têm progresso idêntico. Ser médium é em síntese, ser um pesquisador constante, que inicia por se conhecer a si próprio, descobrindo e equilibrando suas forças positivas e negativas, para depois então, e só então, partir para o estudo do Universo que o rodeia.