Pesquisar este blog

Loading...

segunda-feira, 19 de julho de 2010

EXU SETE ENCRUZILHADAS DAS ALMAS

O Exu Sete Encruzilhadas das Almas, é mais um trabalhador da Umbanda, na luta pela propagação da Misericórdia de Deus a todos, levando a proposta de libertação através da Senhora da Luz Velada.

Sua última encarnação foi no bairro de São Cristóvão, subúrbio do Rio de Janeiro. Chamava-se Cláudio.

Sua saga de vida deu-se logo após seu desencarne, de forma prematura, aos 27 anos. Viveu um dementado período no Umbral, onde lhe ardia a sede de vingança, impregnada na lâmina de um punhal presa à sua mão.

Perdido nas trevas e atormentado, foi e socorrido por alma amiga e responsável, que encaminhou-lhe às sendas do bem. Alfredo era o nome deste anjo sem asas que o ajudou, tendo por ele eterno carinho e gratidão.

Após uma fase de repouso do estado de prostração que sofreu, este rapaz começou, pouco a pouco, a abrir seus olhos e enxergar a verdadeira estrada, cujo caminho tem uma longa escada que nos leva ao Pai.

Recuperado e refeito dos pesadelos passados, recebeu de Alfredo um convite para trabalhar nas colheitas do bem.

Veio a chance de trabalho dada pelo Alto, para reparar uma série de erros. Alfredo é um Exu, conhecido como Malandrinho do Cruzeiro das Almas, o Chefe dos Exus que compõe a Equipe de Guardiões e Protetores do Templo Espiritualista do Cruzeiro da Luz. Chefia uma enorme gama de espíritos que hoje se encontram na luz, muitos graças a ele mesmo.

Cláudio, em virtude da necessidade de crescer e reparo de seus erros, aceitou o convite, ingressando nesta linha de trabalhadores de esquerda, como Exu Sete Encruzilhadas.

Daí começou sua lida de caridade na ajuda aos aflitos, pelas "encruzilhadas da vida", levando o amor, a compreensão e o esclarecimento a todos que pudesse, vitalizando e desvitalizando dentro de sua função de Exu, guiado sempre pela paterna direção espiritual do Caboclo Ventania de Aruanda e orientado de perto pelo amigo Malandrinho.
Para isso lhe foi designado um médium (Julio) com o qual se afinizasse e tivesse "uma história", através da incorporação e aconselhamento às pessoas, como é na Lei de Umbanda.

Devido a grande a afinidade entre ambos, psicografia foi mais um meio encontrado de comunicação, feita com gosto e amor.

É mais um meio de chegar às pessoas, diz ele. Para Sete Encruzilhadas, em razão do trabalho que diz ter-lhe dignificado como filho de Deus, embutido aí seu mistério exu, mais um meio de chegar representa uma "encruzilhada aberta" para ambos, oportunidade do Alto no trabalho da Umbanda, onde só há paz e amor (como diz o Hino), levando a todos a bandeira de Oxalá (a caridade), sempre guiados pelo querido Mentor e Guia, Caboclo Ventania.

É através de suas mensagens & trovas que ele se apresenta. Espera que suas mensagens levem um pouco de paz aos corações, para que esses se voltem para Deus.

Além de tudo isso, vejo nesse amigo "das encruzas" um idealista, mas não um sonhador. Alguém de ideal concreto e direcionado, amplamente atualizado com o mundo e buscando projetar esse ideal neste mesmo mundo. Seu objetivo maior é a divulgação límpida do amor de Deus, através da Umbanda; contudo, luta calorosamente para mostrar que o Exu não é o diabo e sim um espírito em evolução, como nós, que vem na Umbanda com um propósito belíssimo, dentre eles semear o amor, ajudando-nos a crescer; e, por fim, chamar a atenção de que qualquer um, encarnado ou não, pode praticar a caridade que liberta".